Brinquedos... O que escolher!


Olá a todos!



Com a aproximação do Natal, de todas as semanas de promoções de brinquedos e do infindável número de anúncios existentes nas televisões – mesmo em canais infantis - é necessário que os pais, e também familiares e amigos que normalmente auxiliam no aumento exponencial de brinquedos, que uma criança tem ao seu dispor se tornem cada vez mais criteriosos nas escolhas que fazem e que não o façam no sentido de colmatar alguma ausência ou até como forma de substituir a sua presença.



Por um lado, temos as questões de segurança que todos nós já conhecemos mas que nem sempre cumprimos!

Quantos de nós, olham para os rótulos dos brinquedos antes de os comprar? Quantos de nós, sabem que todos os brinquedos têm por lei, de apresentar identificação do produto, o seu fabricante e o seu distribuidor em Portugal, a respectiva marca, devem chamar a atenção para os perigos e os riscos de danos inerentes à sua utilização e para os meios de os evitar, devem identificar a faixa etária a que se destinam e ainda alguns avisos especiais, tudo isto em língua portuguesa. Dá que pensar certo!!!



Por outro lado e para mim tão importante como o primeiro, é o tipo de brinquedos que se deve oferecer. Brincar mais do que entreter, é uma forma de as crianças adquirirem aptidões emocionais, sociais, psicomotoras e cognitivas.

Tal como as etapas do desenvolvimento infantil, brincar também tem etapas de evolução, temos actividades que geram acção, quando um bebé atira um objecto está a ter uma primeira noção da lei da gravidade, as simbólicas quando pega numa roda e o transforma num volante é um exercício de imaginação e as que exigem regras como os jogos de tabuleiro que ajudam a compreender que a vida se rege por um conjunto de normas e regras.



A longo prazo, é o brincar que vai ajudar a moldar a personalidade das crianças, tornando-as em adultos capazes de superar um contratempo, de se focarem em tarefas, de reflectirem sobre determinados assuntos e valorizarem o que têm, dando-lhes um maior grau de responsabilidade e perseverança.



Por isso, este Natal pensem bem nas ofertas que fazem!


Boas Festas da Equipa Clínica Raquel Saraiva


23 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo